Nosso site mudou: http://institutoestherstiller.weebly.com

Cadastre-se em http://institutoestherstiller.weebly.com para receber a brochura com o programa de cursos do i.es para 2021

Nosso site mudou: http://institutoestherstiller.weebly.com

Arq. Esther Stiller

Introdução 
Cronologia da Iluminação Arquitetônica no Brasil | Lighting Design na década de 60

Antes de começar meu relato-testemunho do início dessa atividade no Brasil farei um breve resumo do que ocorria na Europa e nos Estados Unidos à época em que demos nossos primeiros passos na matéria.

Podemos afirmar que a nossa profissão foi iniciada, no Brasil, a partir do convite feito pelo embaixador Wladimir Murtinho ao arquiteto Livio Edmondo Levi em 1966, visando desenvolver luminárias para o Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília, assim como colaborar com algumas das soluções de iluminação para ambientes específicos, caso do Auditório, no subsolo, entre outros.

Nesse tempo, iniciou seu trabalho verdadeiramente pioneiro em termos de iluminação o arquiteto William Lam – de quem falaremos em detalhes mais tarde. Ele era nascido no Havaí mas residia no estado de Massachussets nos Estados Unidos, tendo trabalhado no MIT. Era grande apreciador de Alvar Aalto, e sua carreira, assim com a de Livio Levi iniciou-se com design de luminárias para, de[pois, dirigir-se aos projetos de iluminação.

Foi na contra capa de um livro de sua autoria que li, pela primeira vez, a designação lighting design… Seu trabalho, altamente qualificado, deu origem a todos os demais que se seguiram, nos Estados Unidos e no resto do mundo…

Mas foi a partir dos anos 70-73 que algumas empresas de iluminação da Broadway foram convidadas por arquitetos reconhecidos – por exemplo, Philip Johnson, para o edifício AT&T – para valorizar, através dos efeitos cenográficos com que trabalhavam suas obras de arquitetura.

Um dos grandes escritórios dessa época era Fisher, Marantz – hoje Fisher, Marantz & Stone – e logo após muitos outros se seguiram, também altamente qualificados.

Na Europa um desses escritórios foi Speiers & Major, e eles deram origem a um número muito grande de empresas que se caracterizam, desde então, por uma atividade prioritariamente cenográfica… A maior parte dos trabalhos desses profissionais é destinada à valorização de monumentos – abundantes na Europa – e de espaços púbicos.

Aqui no Brasil essa atividade surgiu a partir da identificação, pelo emb Murtinho, da necessidade da contratação de designers reconhecidos para adequar os interiores e o mobiliários do Palácio do Itamaraty à enorme relevância do edifício, tanto no seu aspecto de representatividade da cultura nacional como pela qualidade excepcional da sua arquitetura.

Assim, em decorrência da construção da nova capital – com tantos exemplos de qualidade na arquitetura dos edifícios públicos – podemos dizer que o Brasil foi um país pioneiro na atividade de projetos da iluminação arquitetônica.

Eu era, então, apenas uma estudante de 3o. ano da Faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie, em São Paulo. Imaginem a minha emoção quando, estando sozinha no escritório, atendia ao telefone e, do outro lado da linha, ouvia o tom inconfundível da voz do Arquiteto Oscar Niemeyer… como eu ficava incrédula com tal privilégio…

Histórico parte 1
Origem da atividade de projetos de Iluminação no Brasil | Livio E. Levi

Em desenvolvimento

vá para http://institutoestherstiller.weebly.com

Apresentação de projetos de autoria da arq Esther Stiller ou de outros colegas com ênfase no desenvolvimento completo do trabalho, desde as definições iniciais do cliente e dos seus arquitetos até a sua implantação e conclusão.

Demonstração das dificuldades ocorridas no processo e soluções apresentadas.

SALAS DE CONFERÊNCIAS E REUNIOES DO GOOGLE (.ppt 2.037Kb)CARREFOUR EXPRESS (.pptx 16.333Kb )

site oficial do i.es é institutoestherstiller.weebly.com

Coordenação arq Esther Stiller

Esta seção versará sobre temas relacionados com a prática profissional, a saber, relacionamento do projeto de iluminação com o cliente, seus arquitetos e demais equipes técnicas envolvidas num projeto
Matérias poderão ser obtidas a partir de mesas redondas com profissionais do mercado para discussão de temas de interesse mútuo…

Alguns temas propostos

Porque equipes técnicas multidisciplinares devem incluir um profissional de projetos de iluminação

Benefícios de um projeto correto tecnica e esteticamente

Malefícios …

Como avaliar e selecionar o profissional de projetos de iluminação

Selecionando pelo menor custo?

Porque especificações do projeto devem ser observadas

O engano das três especificações

Como avaliar os equipamentos de iluminação

Padrões de projeto > o que entregar e como apresentar

vá para http://institutoestherstiller.weebly.com